Sacerdócio a uma Divindade específica

Um conceito que temos na TCS é o de sacerdócio a uma divindade específica, ou seja, consagrar-se para ser uma Sacerdotisa de Kali, de Perséfone ou de Isis. Eu vi este conceito pela primeira vez em 1998 na Fellowship of Isis e me encantei por ele. Algum tempo depois li o livro Voices of the Goddess (quem quiser ler, é um livro muito gostoso) que é uma coletânea de depoimentos de sacerdotisas de diversas Deusas ao redor do mundo que foram ordenadas dentro da FOI e o conceito de servir a uma ou mais Deusas específicas começou a me atrair cada vez mais. Meu próprio treinamento e posterior ordenação na FOI é uma prova do quanto esse tipo de sacerdócio me encanta.

Mas o que significa ser uma Sacerdotisa de Brigit? De Tiamat?

Quase todos os que ouvem pela primeira vez o chamado da Deusa a vêem apenas como a Deusa, sem nome, sem rosto, sem definições. Muito provavelmente isso é o resultado de uma criação cristã, com seu deus sem nome, sem rosto, onipotente e indefinível. Á medida em que nos libertamos dos conceitos cristãos, começamos a ver a Deusa como Donzela, Mãe e Anciã, seus três grandes aspectos. Algumas pessoas permanecem vendo-a assim por toda a vida. Mas existem aqueles que começam a estudar os diversos panteões e de repente se vêem frente a frente com um aspecto, uma faceta do grande diamante que é a Deusa que os atrai mais do que todos os outros. Para alguns essa paixão é passageira e eles permanecem com um aspecto por um tempo e logo seguem para outro. Mas pode ser que uma Deusa simplesmente chegue para ficar.

Você está vivendo sua vida, celebrando, praticando e simplesmente essa Deusa chega e se aloja. Pode ser que você esteja passando a roda com outra face, outro aspecto e de repente tudo o que você vê é aquele aspecto que está chegando e se apropriando de você. Nós não escolhemos as Deusas que servimos, são elas que nos escolhem. E quando uma Deusa te escolhe, o que mais você pode fazer além de se entregar a Ela?

Vivemos numa era sem Deuses. Os antigos templos já não existem mais ou foram transformados em igrejas para o deus único. As sacerdotisas e sacerdotes foram exterminados e seus descendentes nem se lembram das promessas de serviço e culto. Ninguém mais carregava o ofício sagrado de representar esta ou aquela Deusa na Terra. Mas bem quando julgamos que estava tudo perdido, eis que a Deusa retorna e com força total, disposta a refazer seus cultos e ofícios pelo mundo afora.

Algumas Deusas, como Isis, acostumadas a serem cultuadas e servidas por inúmeras sacerdotisas, vão requisitar muitas pessoas pelo mundo afora. Outras Deusas, como Tiamat, que nunca teve um grande culto no mundo, irão escolher poucas pessoas para servi-las. Outras, como Ran, começarão devagar, mas seu objetivo e trazer seu culto de volta a um grande número de pessoas.

Mas como saber se fomos requisitados por uma determinada Deusa?

Em primeiro lugar, aquela Deusa te atrai de forma absoluta, tudo sobre ela, seus mitos, seus símbolos, seus atributos, tudo isso fala ao seu coração. De modo geral outros deuses do panteão dela também vão te atrair, mas nunca tanto quanto ela.

Você vai começar a perceber que viveu ou vive aspectos dos mitos daquela divindade.

Você sente vontade de consagrar seu altar para ela ou de alterar seu altar para ter decorações e símbolos relacionados a ela.

Você se vê sonhando em criar um templo para ela, rituais, celebrações.

Seus sonhos começam a ser povoados de símbolos e associações com esta divindade.

Mas essas coisas por si só não são suficientes. Você precisa sentir, profundamente dentro de você, a vontade de servir a esta Deusa em primeiro lugar pelo resto de seus dias.

Isso significa que você nunca mais poderá cultuar outros Deuses? Não, mas se você consagrar seu sacerdócio a uma divindade será uma sacerdotisa ou sacerdote daquela divindade antes de qualquer outra coisa. E não será por um ou dois anos, mas pelo resto de seus dias.

Um voto de consagração a uma divindade não deve ser feito levianamente, pois uma vez feito, não há volta.

Na Fellowship of Isis, por exemplo, o treinamento para a ordenação dura de nove meses a dois anos. E mesmo depois da cerimônia, o novo sacerdote ou sacerdotisa precisa validar seu trabalho durante um ano antes de ser devidamente reconhecido como tal.

Na TCS eu criei um trabalho de culto direcionado a uma divindade baseado no conceito do Líber Astarte de Aleister Crowley. O objetivo é vivenciar um contato profundo com sua divindade escolhida durante um ano inteiro, antes de efetivamente pensar em se consagrar para ela.

Mas mesmo quando você tem certeza de que seu caminho é o sacerdócio para uma determinada divindade você ainda precisará decidir de que forma vai expressar este culto.

Por exemplo: Digamos que você deseja ser uma Sacerdotisa de Hécate. Como você pretende exercer este sacerdócio?

Você pretende celebrar ritos e mistérios para Hécate, fazendo oferendas e cerimônias para ela?

Você pretende ensinar sobre Hécate, treinar pessoas nos mistérios dela?

Você pretende atuar como mediadora para almas desencarnadas que estejam precisando de auxílio?

Você pretende atuar encaminhando este tipo de alma para a passagem para o outro mundo?

Você pretende consagrar sua magia para Hécate, atuando magicamente em honra a ela?

Uma bruxa conhecida minha, Sacerdotisa de Hécate, decidiu unir sua profissão a seu sacerdócio. Formada em psicologia, ela se especializou no tratamento de doentes terminais e suas famílias. Além do trabalho psicológico de preparar o doente para sua morte, ela também realiza o procedimento mágico de facilitar a passagem daquela alma quando esta deixa a vida. E auxilia a família do doente a lidar com a perda.

Uma outra Bruxa, Sacerdotisa consagrada a Afrodite e dançarina, especializou-se em treinar mulheres nas artes sexuais de sedução, incluindo cursos de dança sensual e pompoarismo.

Uma Sacerdotisa de Brigit e arquiteta optou por criar lindas esculturas de metal soldado, todas devidamente consagradas como oferendas a Brigit e enfeitiçadas para trazer inspiração e cura para as vidas daqueles que as compram.

As possibilidades são infinitas.

Se você deseja consagrar seu sacerdócio a uma divindade específica, uma de suas primeiras e mais importantes questões será: De que forma vou exercer este sacerdócio?

Como eu disse antes, não é uma decisão a ser tomada levianamente, pois ela pode vir a definir inclusive sua carreira profissional.