Purificação e Consagração

Primeiramente, nós bruxos purificamos coisas, objetos e a nós mesmos.
Temos como exemplo de purificação pessoal a situação eu que realizamos um ritual e, dessa forma, precisamos nos limpar energeticamente.

“Como assim nos limpar energeticamente?”

Isso significa que precisamos limpar do nosso corpo as energias que não são compatíveis com o ritual que vamos fazer.

A purificação de objetos serve, por exemplo, para limpar o objeto de energias que a gente não deseja que permaneçam nele. Isso serve para pedras, roupas, jóias, instrumentos mágicos, entre outros. Dessa forma, ele fica livre para que você coloque a energia que você quiser que fique ali a partir daquele momento. Assim, já introduzimos o segundo tópico deste texto, a consagração. Mas vamos por partes, ok?

Vamos começar com o ensinamento de que os quatro elementos (Terra, Ar, Fogo e Água) podem tanto purificar uma coisa/pessoa/objeto quanto consagrar essa mesma coisa/pessoa/objeto. O que vai determinar o que os elementos vão fazer é a sua intenção. As vezes só um gesto já é suficiente para que o que você quer realizar seja concretizado. Um exemplo em que podemos materializar a nossa intenção, e confesso que é a maneira mais usada por nós, sacerdotes da TCS, é por meio de pentagramas. Estes últimos podem ser tanto de Banimento e Invocação.

pentagrama

Pentagrama de Banimento: como o próprio nome sugere, este pentagrama é utilizado para banir, limpar e purificar energias. Ele começa de baixo, mais especificamente na ponta da Terra, vai para a ponta do Espírito, posteriormente para a ponta do Fogo, ponta do Ar, ponta da Água e, consequentemente, volta para a ponta da Terra. O círculo em volta do pentagrama é feito no sentido anti-horário (desconstrução).

Pentagrama de Invocação: O pentagrama de invocação é utilizado para consagrar objetos e instrumentos, para chamar energias que você deseja. Ao contrário do pentagrama de banimento, o de invocação se inicia na ponta do espírito, vai para a ponta da Terra, ponta da Água, segue para o Ar, posteriormente para a ponta do Fogo e retorna para a ponta do Espírito. O circulo feito em volta do pentagrama de invocação é feito no sentido horário (construção).

No entanto, reforçamos a ideia de que é assim que nós da TCS utilizamos esse conceito. Você, leitor, pode testar o contrário e ver se funciona para você. Não estamos aqui para dizer que a nossa verdade é única. Você tem que aprender a questionar. Saber o porquê das coisas. Questionar é uma das principais qualidades de um bruxo, ou seja, não fazer as coisas mecanicamente, não seguir receita de bolo. Saiba sempre o porquê das coisas e técnicas das quais você está fazendo uso. Sendo assim, vamos aproveitar o gancho e dar 6 (seis) exemplos de coisas legais que podemos usar para purificar:

  1. Usar incenso para purificar um ambiente antes de realizar um ritual. Podemos pegar um incenso de qualquer aroma que você considere ou associe à purificação e se volte para o Norte. Do norte, você irá andar no sentido anti-horário (desconstrução) purificando o ambiente até retornar novamente para o Norte. Não se esqueça da sua intenção. Dessa forma, visualize o ambiente sendo limpo e purificado das energias que não são compatíveis com aquele ritual.
  2. A mesma técnica do incenso pode ser usada para purificar as pessoas que participarão do rito. A pessoa que está purificando fica de frente para a pessoa a ser purificada e passa o incenso no sentido anti-horário de cima para baixo. Isso será feito na frente e nas costas da pessoa a ser purificada.
  3. Um objeto, como uma pedra, por exemplo, pode ser purificado pelos quatro elementos. ‘Mas como assim?’ Vou explicar…você pode passar a pedra pela chama de uma vela (Fogo), pela fumaça de um incenso (Ar), pode mergulhá-la na água (Água) ou enterrá-la (Terra).
  4. Podemos purificar um objeto ou ambiente com as vibrações de um tambor.
  5. Utilizar ervas para purificação. Temos como exemplo algumas ervas clássicas que já possuem a egrégora de limpeza, como arruda, sálvia, alecrim. Não se esqueça que você pode usar qualquer erva que você quiser, desde que te remeta à ideia de purificação e banimento, ou, por exemplo, às divindades que você vai celebrar, bem como com ervas que possuem as propriedades que são condizentes com o que você vai fazer.
  6. Podemos purificar ainda com o clássico dos clássicos, o nosso bom e velho sal.

Objetos do nosso altar:

Nós utilizamos a técnica de purificar e consagrar os nossos instrumentos mágicos de altar, como Athame, Bastão, Cálice, Incensário, entre outros, pelos quatro elementos. Partimos do princípio de que nossos instrumentos devem estar equilibrados e ressonando de maneira harmoniosa e, dessa forma, os quatro elementos são ideais para tal propósito. Ao consagrar, nós apresentamos os instrumentos para todas as quatro direções, elementos e divindades (caso você queira), como por exemplo:

“Poderes do Norte, poderes da Terra, este é o meu instrumento (diz qual é o instrumento) e que ele receba suas bênçãos e sua energia para que ele esteja em equilíbrio com todo o meu altar. Que assim seja e que assim se faça.”

Você pode usar esse texto ou um de sua própria autoria. O texto que você usar para o Norte/Terra, você usará para o Leste/Ar, Sul/Fogo e Oeste/Água. Caso você queira consagrar para alguma(s) divindade(s), você pode se virar para o Norte e apresentar o instrumento para ela(s).

Vou finalizar o texto com a ideia de que a magia segue o caminho de menor resistência e, dessa forma, é importante que você realmente visualize a energia de purificação e consagração do objeto/coisa/pessoa/ambiente em questão. Caso você não tenha a intenção, serão apenas atos e gestos vazios, sem sentido e propósito.