Iniciação e Sacerdócio

Muito se fala sobre o sacerdócio aos Deuses Antigos. Praticamente todos os livros de Wicca mencionam que ela é uma religião ou um caminho mágico sacerdotal e iniciático. Mas o que é o sacerdócio? O que significa tornar-se um sacerdote da Deusa?

Sacerdócio é um chamado, uma vocação e um contrato.

Você não escolhe ser um sacerdote, você é chamado ao sacerdócio. O que isso significa? Que o primeiro passo de uma pessoa rumo ao sacerdócio não é dado por ela, é dado pela divindade. É a divindade quem escolhe aqueles que serão seus sacerdotes e sacerdotisas. O chamado é feito e a partir daquele momento a divindade começa a guiar aquela pessoa rumo às pessoas ou circunstâncias nas quais ela poderá encontrar o caminho rumo ao sacerdócio. Os mestres certos, as escolas certas, as pessoas certas surgem na vida do possível sacerdote de forma a dar-lhe a chance de atender esse chamado. Mas atender o chamado é uma questão de escolha.

E aí que vem a segunda parte do que define o sacerdócio, eu disse que o sacerdócio é um chamado e uma vocação. O chamado é o passo dado pelos Deuses, a vocação é o passo dado pela pessoa. Não adianta ouvir o chamado, é preciso entrar em ressonância com ele para que se desperte dentro de você um desejo sincero de servir. Servir aos Deuses, servir às pessoas. A pessoa que ouve o chamado precisa ter perseverança para enfrentar anos e anos de treinamento para aprender a ser um sacerdote. Ela precisa ter humildade para entender que por mais que ela aprenda sempre haverá algo novo a se aprender e sempre haverá algo que ela não sabe. Precisa ter coragem para enfrentar o submundo e encontrar sua sombra, integrando-a a seu lado luminoso, pois sua força vem de ambos. Precisa ter disposição para se recriar a cada dia, se redefinindo e se reconstruindo porque o sacerdócio é um processo em constante movimento e qualquer pessoa que fique estagnada deixará de servir para o sacerdócio. Precisa estar disposta a evoluir junto com o caminho e com as pessoas que serve e por isso não pode ter apego a seu status. Precisa ter respeito pelos Deuses, pelo sacerdócio, mas acima de tudo pelas pessoas que guia. Precisa ter força para agir quando necessário e o desprendimento para deixar de agir quando for a melhor coisa a fazer. E acima de tudo, precisa ter fé, pois ela dará não apenas um, mas muitos passos na borda de um precipício.

E por fim, vem a terceira parte, o contrato. Uma vez que a pessoa ouça o chamado e tenha a vocação ela vai procurar o treinamento. Após anos de treinamento chega o momento de seu juramento de serviço aos Deuses. Esse é o contrato. E não é um contrato por um ano ou cinco, é um contrato para toda a vida. Você estará entregando sua vida aos Deuses como instrumento deles. E mais, você estará fazendo um compromisso de devoção. O sacerdócio não é restrito a um templo em um determinado dia da semana, é um trabalho para todos os dias, em todas as horas e todos os minutos. A partir do momento em que você assina o contrato você passa a viver pela glória de seus Deuses. Você passará a viver para que o trabalho de seus Deuses se expresse no mundo. E mais, você passará a viver para garantir que seus Deuses não sejam esquecidos, nem mesmo por você.

Você vai guiar outras pessoas no caminho da divindade, você vai aconselhar, vai ouvir, vai falar, vai ensinar. Mas antes e acima de tudo, você vai garantir que a egrégora de seus Deuses seja alimentada. Como dizem os egípcios, o Ka de uma divindade ou de uma pessoa não morre enquanto ela for lembrada. E isso é o mínimo que nosso contrato exige. Através de preces, oferendas, meditações ou simples conversas com a divindade, nós a alimentamos.

Por milênios, três Deuses ciumentos e violentos se esforçaram para obliterar todos os demais, para garantir que apenas eles fossem cultuados, mas eles falharam. A Deusa nunca foi esquecida, ela voltou e trouxe todos os demais com ela. Porque ao contrário daqueles três, ela não é ciumenta, ela sabe que cada pessoa que cultua uma faceta de seu diamante também alimenta o diamante como um todo. E seu diamante brilha cada vez mais em nosso tempo.

Muitos Deuses foram esquecidos, muitos nomes se perderam, muitas faces se apagaram. Mas muitas mais estão vivas, fortes e brilhantes e elas esperam. Esperam por nós, esperam por nossa luz, por nosso amor, por nossa devoção, por nosso pacto de amor.

“Ela espera, espera
Ela espera por nós
Ela espera os seus filhos
Escutarem sua voz.”

“She’s been waiting, waiting
She’s been waiting for so long
She’s been waiting for her children
To remember, to return.”

É hora então de ouvir o chamado. É hora de descobrir a vocação dentro de você. É hora de lembrar, de voltar. É hora de se comprometer. Escolha sua face do diamante e tenha a coragem de assinar seu contrato. E então, mãos à obra. Há muito trabalho a ser feito.