A Maré Astral, o livro e os postulantes apáticos

Mais um solstício! Mais uma maré astral que termina e outra que começa. É hora de reconsagrar seus altares, suas proteções, seus instrumentos.

A maré do trabalho se foi e vamos entrar na maré da colheita. Você está pronto para começar a colher o resultado de seus esforços?

Terminei de ler o livro The Circle Within. Agora vou voltar a ler sobre Aset, minha Deusa de Devoção.

É incrível como cada livro que a gente lê tem algo a nos ensinar, algo a acrescentar em nosso aprendizado mágico. Você sempre pode aprender coisas novas se estiver disposto a isso.

Uma das coisas que mais me incomoda hoje em dia é a apatia de alguns postulantes. Eu sinceramente não entendo o que faz uma pessoa pedir dedicação se ela não está disposta a fazer o mínimo de esforço para crescer e se desenvolver no sacerdócio.

Ao longo de todos os anos em que tenho sido iniciadora, tenho visto uma coletânea de desculpas absurdas e esfarrapadas para que uma pessoa não faça suas tarefas. Mas tem sempre alguém que consegue me surpreender com uma nova.

O resultado disso ao longo dos anos é que chega uma hora em que você se cansa de ficar estimulando as pessoas ao crescimento. A dedicação deveria ser um período em que o postulante se esforça para aprender, não em que o iniciador se esforça para que o postulante aprenda.

Este tipo de coisa tem me feito questionar seriamente se pretendo continuar atuando como dedicadora.

No mais, estou vivendo uma fase muito gostosa em todos os sentidos. Estou em paz com a vida, com os Deuses, com minha prática mágica. Tenho tanto a agradecer aos Deuses que acho que eles ficam até cansados de me ouvir: “Tá, tá bom, já ouvi, você já agradeceu por isso. Humm, já agradeceu por isso também. Sim, já, já ouvi. De nada!”

Para os que apreciam uma relação bem humorada com os Deuses sugiro que procurem os quadrinhos chamados Netjeru Comics. Eles foram feitos por um dos membros da Kemetic Orthodox Faith e são muito legais. Ilustram com perfeição a relação que o pessoal da KO tem com os Deuses. Eu adoro pensar nos Deuses como sendo bem humorados como ela retrata.

Naelyan