O Bordado e a Calmaria

Dizem que depois de uma tempestade sempre vem a calmaria. Mesmo quando a tempestade é interna.

Nos últimos meses estive no centro de uma dessas tempestades. Certas decisões não são fáceis de serem tomadas, principalmente quando envolvem as vidas de outras pessoas. Se eu fosse uma pessoa com tendências dramáticas, coisa que eu não sou, teria sido bem pior.

No fim das contas, depois de esquentar a cabeça com o assunto durante meses, pedi aos Deuses um sinal sobre o melhor curso de ação. E eles responderam com um sinal estilo luminoso, piscante, com direito a golpe de taco de baseball na cabeça para ver se eu estava prestando atenção.

Com o sinal devidamente recebido e entendido, senti que um peso estava sendo retirado dos meus ombros. E quando não estou preocupada com alguma coisa, eu tenho a tendência de me manter ocupada. Livre da preocupação, já fui eu caçar uma nova ocupação ou reativar uma antiga.

Acharam estranho? Mas é assim que eu funciono. Meu estado normal é estar ocupada com um monte de coisas ao mesmo tempo, cheia de idéias e projetos sendo executados.

Para começar, decidi reativar este blog e começar a escrever aqui com regularidade. E resolvi voltar a bordar.

Isso mesmo, bordar. Eu adoro fazer ponto cruz. Para mim, o ato de tecer ou bordar é um dos mais mágicos que existem. Vocês já pararam para pensar na magia de criar uma coisa totalmente nova á partir de nós ou pequenos xis feitos de linha? Se não pensaram, comecem a pensar. Poucos feitiços são tão eficazes quanto um feitiço tecido ou bordado.

Mas neste caso não estou fazendo um feitiço e sim um painel bordado para Aset. Começou com uma idéia pouco ambiciosa, um único desenho de Aset, ajoelhada, com as asas abertas. Mas, solta na minha mente, a idéia teve a chance de pegar algum vírus de criatividade e sofreu uma mutação. O resultado será um painel com imagens de Wesir, Heru e Yinepu, juntamente com uma borda cheia de flores de lótus. Vai ficar lindo!!

Eu adoro criar coisas para os Deuses. Quadros, pinturas, até mesmo um oratório eu fiz um dia desses. Adoro expressar minha devoção pelo ato de construir coisas para os Deuses. Sinto que, ao criar um objeto material, eu estou dando forma e existência física a meu amor pelos Deuses.

Só espero que eles gostem do resultado.

Naelyan

One thought on “O Bordado e a Calmaria”

  1. Adorei as inovações. Sobre a magia de bodar, ja havia pensado sobre isso principalmente quando foi fazer minha tunica e não sabia se quer como consturar. Um amigo me ajudou e quando vi o tecido criar forma, foi como se ele criasse vida aos meus olhos e ai percebi como era magia, costurar, bordar, tecer, que em tudo isso criamos.

    Abraços

    cermait

    P.S. Sucesso em seu bordado. Os Deuses certamente reconhecem seu amor a Eles