O Mito da Criação

(Da Faery Tradition, citado por Starhawk/ Tradução Mavesper Ceridwen)

“No momento infinito antes de tudo, Sozinha, Deslumbrante, Completa em si mesma, A Deusa, Aquela Cujo Nome Não Pode ser Dão, flutuou no abismo da escuridão exterior, antes do começo de todas as coisas.

Ela olhou o espelho curvo do espaço negro, e se viu por intermédio de sua própria luz de radiante reflexão, e apaixonou-se por si mesma.

Ela concretizou a imagem pelo poder de suas mãos e fez amor consigo mesma, e A chamou Miria, a Magnífica.  Seu êxtase se fez na Canção que gerou todas as coisas que são, foram ou serão.  E com o som veio o movimento, ondas que geraram e se tornaram toda as esferas e círculos do mundo.

A Deusa se tornou plena de Amor, cheia de amor, e deu à luz uma chuva de espíritos brilhantes que se tomaram todos os seres.

Mas nesse grande movimento, Miria afastou-se, e foi separada da Deusa, tomando-se mais masculina.  Primeiro ela se tornou o Deus Azul, o gentil e risonho Deus do Amor.  Então ela se tornou o Deus Verde, coberto de vinhas, enraizado na terra, o espírito de todas as coisas que crescem.  Por último, ela se tomou o Deus de Chifres, o Caçador, cuja face é o sol escaldante e , apesar disso, negro como a morte.

Mas o desejo sempre o faz retomar para A Deusa, assim ele a busca eternamente na dança espiral, procurando retomar em Amor.

Tudo começou em Amor, tudo busca retomar em Amor.  O Amor é a Lei, o Professor da Sabedoria e o Grande Revelador dos Mistérios.”

 

Este é um dos mitos da criação entre vários que podemos encontrar. Aos poucos, vou postar alguns mitos da criação de diferentes panteões pra vcs conhecerem!

One thought on “O Mito da Criação”

  1. Muito obrigado, Janicinha.
    Estou curioso para saber como foi a origem do mundo de acordo com cada panteão.

    Moral da história, essa frase abaixo é foda:

    “Tudo começou em Amor, tudo busca retomar em Amor. O Amor é a Lei, o Professor da Sabedoria e o Grande Revelador dos Mistérios.”

    Assim deviam ser todas as religiões, quem sabe nos amaríamos mais e faríamos guerras de menos?

    Né não?

    Beijos!

    ps: me passa seu blog pessoal depois.